terça-feira, 28 de maio de 2013

Viver:

É muito mais que passar segundos,

minutos, horas, dias, semanas,
meses e anos a fio respirando!

É dar sentido e valor
a esse tempo, 
que passa voando!



Mônica Correia

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Os olhos...

 Estou estranhando os meus...
 Já não são mais os mesmos...
 já não vêem como viam...
 não enxergam o que desejo.


Seu uso em excesso me cansa,  me frustra,
me lança no que não conheço
Nos vultos que agora vejo.


Mônica Correia

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Crescer dói???

 A vida, é um grande aprendizado... Estejamos de prontidão, pois cada segundo é único. Viver bem é nada mais que pôr em prática a arte de saber fazer as melhores escolhas, aquelas que nos fazem bem em sua totalidade, e ainda melhores no íntimo do ser. E entender, que mesmo assim elas estão acompanhadas dos bônus, mas também de algum ônus...
Precisamos saber perder para aprender a ganhar, fazer concessões para poder avançar... Crescer, evoluir... Tudo tem seu preço. 
Sendo assim não basta escolher, mas saber o que se escolhe, o porquê da escolha, e se estamos prontos para arcar com as consequências das mesmas... 
Ninguém é vítima de nada, tão pouco de outro alguém, a não ser de si próprio...
Identificar as próprias limitações e imaturidades, aprender a lidar com elas, desmistificá-las  e modificar seus "status", nos fazem entender que somos seres imperfeitos... Então para que, querer a perfeição do outro? 
Estejamos preparados para viver melhor conosco, com os outros e com o mundo!

Mônica Correia

terça-feira, 24 de maio de 2011

Apreço ao Bom...

Toda vez que me ocupo em pensar sobre as coisas que estão indo bem, ou algo em específico que também esteja indo bem, junto sempre surge a ideia de fazer com que fique melhor, porque as vezes,  realmente dá para ficar melhor. Mas no penúltimo domingo, conversando com uma amiga e analisando as coisas que aconteceram até aquela mesma manhã,   ela me alertou para algo que eu ainda não havia percebido, ou tenha mesmo ignorado por um bom tempo em minha trajetória até o momento.
Quando alcançamos um nível bom e satisfatório, em alguns casos é melhor mantê-lo que buscarmos o ótimo, pois  sempre nos depararemos com as intercorrências. E sendo dessa forma, algumas vezes não estamos preparados para elas, e assim   acabam por transformar o bom em péssimo, e  o ótimo, aquele que era objetivo inicial, fica cada vez mais distante de ser alcançado.
Não sejamos medíocres, tão pouco perfeccionistas demais!
Daí o dito popular"Devagar se vai ao longe." , pode ser adicionado a um complemento: O "ótimo é inimigo do bom!"






Mônica Correia

quarta-feira, 23 de março de 2011

sábado, 8 de janeiro de 2011

...

"Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos."







Fernando Pessoa

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Desabafo no espelho...

    É estranho... Hoje não consigo pensar com clareza. Algo faz com que algumas coisas se turvem, percam o foco. No início, nem sei como definir o que nos leva a desbravar, a nos disponibilizarmos, dedicarmos ou ainda apenas "curtirmos" outro ser humano vivendo em uma época onde tudo é volátil,  descartável, fastfood.
   Onde fica implícito  e explícito, que nada podemos esperar em retorno. Como escrevi em outros posts anteriores, com relação à espera, é melhor nada esperar, assim evitamos a frustração, já que somos TODOS  imperfeitos!
    E com relação a tal imperfeição, temos que pôr em quarentena, diariamente, aqueles pensamentos que surgem como vírus letais, e nos tiram do prumo... O anticorpo para esse "vírus" é individual, não se compra em farmácias, ou em supermercados. É produzido pelo póprio "sistema imunológico"...durante toda a vida.  Ás vezes  fica difícil compreender os sinais, interpretá-los e tomar a posição coerente, racional e correta, principalmente quando a imunidade está baixa, quando nos desarmamos.
   Porque junto com tais "pensamentos-vírus", vem o pior dos sentimentos... o medo,  pretendendo nos pôr amarras. Mas sempre tem uma hora em que  as cortinas se abrem, ou tomamos coragem para abrí-las...  assim retomamos o senso de auto-preservação... a liberdade! Também retomamos a capacidade de nos defender, na maioria das vezes, daquilo que nós mesmos permitimos que aconteça.
    Ás vezes, é melhor ser uma ameba... não ter cérebro pensante, funcionante,  pois assim não há análises, tudo que se escuta, ou que se  vê soa como absoluta verdade, e assim fica garantida a virtual e ilusória sensação de felicidade, de que tudo está em seu lugar. No fundo, na verdade da história... considero que "gostar" de alguém, é uma M...  é o momento do desarme... 
   Pode parecer pessimismo, mas parece  muito difícil, quase que impossível construir castelos na areia. Já que confiança, é como um fio de cabelo, onde todos os dias tentamos, como os equilibristas, passar nele sem que o mesmo se rompa ou que nos desequilibremos. Pois uma vez perdida,  difícil ser reconquistada. 
    E para tal, é necessário muito mais que palavras lisonjeiras... é no dia-a-dia. Ter  a coragem da verdade é para poucos, suportar as consequências das escolhas é para quem realmente quer algo verdadeiro! 
    Hoje em dia, onde tudo está tão facilitado pelo mundo virtual, fica mais difícil separar o joio do trigo,  este, que se encontra em escassez no mercado. 


"Puxar o freio-de-mão,
rodar um cavalinho-de-pau
e parar para olhar a paisagem... 
talvez seja em algumas situações, o melhor a fazer!

Além de ser um jeito agressivo de dirigir,
pode ser jeito um defensivo de viver..."


Mônica Correia

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Abraço

Na espera  do tempo...
o vazio do espaço...
me remetem à lembrança,
do abrigo, e do cheiro do teu abraço.



Mônica Correia

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

...

A vida podia ser apenas estar sentado na erva,
segurar um malmequer e não lhe arrancar as pétalas,
por serem já sabidas as respostas,
ou por serem estas de tão pouca importância,
que descobri-las não valeria a vida de uma flor.




                             José Saramago

terça-feira, 19 de outubro de 2010

Caipirinha

Tenho curtido a vida,
feito dos limões, a limonada
e agregado ao doce da estrada.

Com um pouco de gelo,
dá uma caipirinha danada.


Mônica Correia